sábado, 18 de julho de 2009

APARENCIA EXTERIOR x Coração

O fato é que, embora nos achemos pessoas esclarecidas, de algum modo podemos rapidamente ser convencidos pela forma como as pessoas se expressam, mesmo que tenhamos alguns “senões” a respeito do que falam.

Um homem que tentava explicar o significado da palavra oratória fez o seguinte comentário sarcástico: “Se você diz que preto é branco, está sendo tolo. Mas, se enquanto diz que preto é branco, rugir como um leão, bater na mesa com os punhos cerrados e correr de um lado da sala para o outro, isso é oratória”.

Isso é uma forma jocosa de dizer que, em geral, as massas são movidas mais pelo estilo que pelo conteúdo. Gostam mais do que parece, não do que é. Gostam mais de aparências que de realidades. Contentam-se com o falso, desde que isto os permita expressar o status do verdadeiro.

De acordo com o apóstolo Paulo, chegaria o tempo em que as pessoas se afastariam da verdade e da doutrina e seriam tolerantes com aqueles que enganam e fazem as pessoas se sentirem bem. (2 Tm 4.3)

Então devemos analisar e avaliar cuidadosamente tudo o que ouvimos – mesmo o que for proclamado da forma mais eloqüente. Não devemos nos permitir ser seduzidos pela aparência de um produto, ou pela oratória rebuscada.

Na vida espiritual, precisamos ter certeza a respeito dos que ensinam sobre a Bíblia, se estão “falando a verdade em Cristo e não mentindo”. Precisamos submeter o que é dito e vivido à luz das Escrituras. (1 Tm 2.7)

Andar no terreno movediço do que “parece, mas não é”, ou viver na falsidade, é prejuízo certo, pois aparência e eloqüência nunca são substitutas da realidade.


Não viva de aparências, ande com integridade, lembrando sempre que “o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração” (1 Samuel 16.7).Responda: Como o Senhor está vendo o seu coração?

Texto bem esclarecedor de Samuel Câmara - Pastor da Assembléia de Deus Belém / PA
Meu ex-professor de seminario em Manaus - AM em 1987.

Veja o video abaixo sobre esse tema.

video

Um comentário:

  1. Lendo o texto APARENCIA EXTERIOR X CORAÇÃO, recordei-me de recente leitura de uma das tantas parábolas de Jesus mostradas no Evangelho de Marcos. Ao sair de Betânia com os seus discípulos, Jesus sentiu fome. Vendo ao longe uma figueira com folhas, foi ver se nela encontraria alguma coisa.Mas, ao chegar ao pé dela, não encontrou senão folhas, pois não era tempo de figos. Disse então à figueira:"Nunca mais alguém coma fruto de ti".(versículo 12-14). Segue-se o episódio do Templo, com a surpreendente ira de Jesus, que expulsa os vendilhões. A sequencia termina com o regresso á figueira. Ao passarem no dia seguinte, viram a arvore seca ate as raízes. Pedro, lembrando-se do que acontecera, falou: Olha Mestre, a figueira que amaldiçoaste secou!”disse-lhes: “Tende fé em Deus" (V. 20-22). Esta é a simbologia. Jesus sabe que não é tempo de figos, mas a sua impaciência é grande e a sua cólera começa a manifestar-se. A figueira exibe as suas belas folhas, como também o Templo exibe as magníficas pedras da sua construção. Mas, por trás das aparências, não há nada. A figueira não tem frutos e o Templo não é mais do que um lugar de comércio, onde o dinheiro manda. Já não é uma casa de oração. Nas palavras de Jesus reencontramos as críticas ferozes dos profetas contra o Templo. A religião desvirtuou-se, transformando-se em pura prática exterior ligada ao dinheiro ou àquilo que ele representa em suas piores concepções. Os mercadores e vendilhões do templo pertencem a todas as épocas. São espécies eternamente contemporaneas.Autenticos sepulcros caiados.Jesus convida os seus discípulos à fé em Deus e comprender que o verdadeiro templo é o Cristo ressuscitado e que o coração do homem é o santuáruo da sua presença.

    ResponderExcluir