sábado, 20 de março de 2010

ENSINO DISTORCIDO POR PRESSUPOSTO OU INTERPRETAÇÃO PARTICULAR GERANDO HERESIAS ?



Em comentário da revista de EBD. Das Ass. de Deus, COMANAD.


Produzido pelo Pr. Josué de A. Soares, membro da Ass. de Deus em Bangu, RJ – Ministro do Evangelho, conferencista, escritor, formado em Adm. de empresas, história, teologia, pedagogia e pós-graduado em docência de ensino superior.


É uma lástima, que com todos esses “méritos” alguém possa (deliberadamente ou não) distorcer a Verdade do Evangelho, e ao invés de aplicar a Hermenêutica e Exegese, aplique interpretação particular, levado por costumes e tradições religiosas (essas, que não tem mais que cem anos no Brasil) em detrimento do que é revelado nas Escrituras.


O comentário totalmente distorcido é sobre o Livro de Juízes, no episódio de Gideão, que aliás não utiliza o método ou a receita tão engenhosamente interpretada pelo “ilustre pastor” com tanta formação secular, o que prova que em matéria de Bíblia, todos podemos cometer vários enganos e varias distorções da Verdade.

Basta para isso estarmos pré-dispostos ou termos um preconceito (conceito anterior baseado em costumes ou tradições) e não termos o cuidado de sequer ler o texto e contexto para nos assegurar que não estamos levando milhões de discípulos a um ensino errôneo e que nada trará de bem ao Evangelho de Jesus Cristo.


A lição 9 – AS CARACTERISTICAS DO CRENTE VENCEDOR


Depois de comentar sobre a vitória nos diversos aspectos nos capítulos 1, 2 e 3, inicia o capitulo 4 – COMO SEGUIR O MODELO DE JESUS, e é aqui que começa a distorcer todo o texto quanto o contexto, fazendo uso de eisegese (insere no texto o que este jamais diz) ao invés da exegese (que é extrair do texto o que o texto diz).


O mais absurdo é que no tópico 4.1 – PERMANECER NA PALAVRA, ele cita a referência de Pedro (2 Pe 3:16) “...torcem as escrituras para sua própria condenação” e ainda cita: “O servo de Deus precisa conhecer bem a Bíblia, para não ser enganado”.

4.2 – PRATICAR O JEJUM.
O texto se refere a Mateus 4 – A tentação de Jesus no deserto.
Afirmações do comentarista (exatamente como está na revista de EBD):
“O ministério de Jesus começou com jejum, uma preparação espiritual para lutar contra o diabo”, (cita Mt 4:2 como fonte dessa “verdade” ou dessa afirmação como se fosse verdade).

Depois comenta: “Infelizmente, UM ATO DE FÉ, que muitas igrejas deixaram de ensinar devido à frieza espiritual ou INTERPRETAÇÕES ERRÔNEAS DAS ESCRITURAS” (nisso ele tem toda a razão). Continua o comentário dizendo:


“Na Bíblia Sagrada, vemos muitos servos de Deus que jejuaram. Dentre eles destacam-se Moisés (Ex. 34:28); Ana (1Sm. 1:7); Davi (2Sm.1:12 e 12:22); A nação de Israel (Lv.23:27); Jesus (Mt. 4:2);

Os discípulos de João Batista (Mc.2:18 e Lc.5:33)” – interessante que nessas duas passagens sobre os discípulos de João Batista, Jesus responde literalmente que seus discípulos não jejuam, porque o NOIVO ESTAVA COM ELES; cita ainda Paulo (At.9.9), e encerrando diz: “Todos receberam a benção que desejavam” (barganha explícita).
Se ler-mos cada uma dessas referências veremos que várias não se aplicam a jejum como conhecemos hoje, e em outros casos não há intenção alguma (planejamento anterior) como é o caso de Jesus e Moisés.

No caso específico de Davi, ele não recebe a "benção que desejava" ou seja em (2Sm.1:12) o jejum é por causa da morte de Saul (qual é a benção que Davi desejava?) e em (12:22); o seu filho recém nascido morreu mesmo com a sua desesperada tentativa de anular a profecia do profeta natã.
Será que Davi introduziu novas e maravilhosas doutrinas tais como jejuar quando morre alguém que amamos e jejum para cura de terceiros (mesmo que haja pecado envolvido, como foi o de Davi?).
No caso de Paulo, a confusão é maior ainda, já que este também não estava nem de longe com essa idéia (só os interpretes desvairados pensam assim) e sim ainda aturdido pelo impacto do encontro com Jesus no caminho para Damasco.


Após faz várias descrições (não sei de onde ele tirou, da Bíblia é que não foi) de espécies de jejuns: O típico – Não implicava em abstinência de líquidos.

O parcial ?? (afirma) – É caracterizado pelo que se come? (talvez para encaixar Daniel e seus amigos no episódio em que eles se recusaram a comer carne oferecida aos ídolos como se ao comer só legumes estivessem jejuando – é um absurdo tal interpretação, pior do que aquela que o leão fez jejum quando Daniel foi jogado em sua cova).
O jejum total – também conhecido (por ele e outros religiosos modernos, porque nas Escrituras não temos nada descrito nesses termos) como completo ou absoluto (alimento e água).


Comenta ainda sobre diferenças entre o jejum (segundo ele, SANTO OU MAGICO), e as greves de fome e da dieta (esqueceu do exame de sangue) que é para propósitos físicos e não espirituais ?? (Zacarias 7 e Isaias 58 desmentem essa versão).


Por fim vem o receituário em forma de mandamento (coisa que o Próprio JESUS JAMAIS MANDOU NINGUEM FAZER): “Devemos jejuar pelo nosso País, pelos nossos próprios problemas?? Nos períodos de aflição?? E nos momentos de tomarmos grandes decisões ??" (deve estar clonando a situação de Ester).


O que Mateus 4 NÃO DIZ:


O texto de Mateus 4 NÃO DIZ QUE JESUS INICIOU O SEU MINISTÉRIO COM JEJUM.

DIZ APENAS QUE JESUS FOI LEVADO PELO ESPÍRITO SANTO, AO DESERTO, PARA SER TENTADO PELO DIABO (E NÃO PARA JEJUAR. O JEJUM FOI APENAS CONSEQUÊNCIA DE ESTAR NO DESERTO PARA SER TENTADO PELO diabo).


O ministério de Jesus (como adulto) SE INICIA NO BATISMO EM AGUAS REALIZADO POR JOÃO BATISTA.


Jesus jamais planejou jejum algum (como hoje alguns fariseus modernos planejam e executam ordens aos fieis, numa rotina sem fim, tentando provar não sei o quê) assim como Moisés na referência citada também jamais planejara jejuar 40 dias e sim foi conseqüência da adoração real ao Deus Verdadeiro que o supriu e mesmo após tantos dias, não teve fome.

No caso de Jesus, o ficar sem comer e beber por 40 dias o levou a ficar com fome (não sabemos a intensidade) e isso VIROU ARMA na mão do diabo que a usou contra Jesus na primeira tentação: “Se tu és ..... transforme essas pedras em pão”. E nas outras duas tentativas o diabo usa como armas a cobiça e a sede de poder contra Jesus que o vence pela PALAVRA DE DEUS.

Outra coisa bem clara é que Jesus não vence o diabo por causa da “uma preparação espiritual para lutar contra o diabo” BASEADA NO JEJUM, pois esse, no contexto vemos que foi APENAS CONSEQUÊNCIA do fato dinâmico da tentação e não planejado e sim, o vence pela PALAVRA DE DEUS ( E NÃO PELO JEJUM).

Em EFESIOS 6:12-18 Paulo JAMAIS cita JEJUM COMO ARMA ESPIRITUAL na luta contra o diabo e suas potestades. Se ESTE FOSSE “A ARMA SUPER PODEROSA” Paulo, com certeza, o citaria em primeiro lugar nesta passagem completíssima da luta contra o diabo e suas hostes (Hermenêutica).


E sinceramente, se Jesus precisasse de uma doutrina, dogma, sacrifício ou receita para vencer o diabo ELE NÃO SERIA O JESUS BIBLICO, FILHO DE DEUS, CHEIO DE PODER, GRAÇA E AUTORIDADE, e o diabo, hoje, faria a festa, (como está fazendo em muitos lugares, que seguem essas receitas).


Esse, que usa desses métodos, é uma caricatura do JESUS VERDADEIRO, uma espécie de GEZUIS, parecido com aquele do Paraná, o “Inri chist”, totalmente alienado da realidade do Evangelho, mas incrivelmente mais sábio do que muitos lideres modernos.
A profecia sobre o MESSIAS não fora compreendida até o surgimento de Jesus, que os maiores modelos de religiosos contemporâneos seus foram colocados por Ele como os piores exemplos a serem seguidos. Tamanha era miopia que havia tomado conta da mentalidade religiosa da época. A cultura religiosa (a “religiosidade”) já havia sufocado a mensagem essencial de Deus para os homens que é o amor a Ele e ao próximo.
Quanto ao comentario do texto da EBD: “Infelizmente, UM ATO DE FÉ, (se referindo diretamente a prática do jejum).
Pergunto: Ora, Abraão não é o PAI DA FÉ??

Onde E QUANDO ABRAÃO JEJUOU ? Vou então facilitar. ISAQUE E JACÓ JEJUARAM? QUANDO ? ONDE ? PORQUE ?
SERÁ QUE É PORQUE O JEJUM AINDA NÃO TINHA SIDO INVENTADO POR NENHUM RELIGIOSO DESVAIRADO?
Um dos métodos práticos para se aprender é aplicar perguntas e através das respostas aprender duplamente, um em relação a Verdade e outra em relação as respostas de quem responde (como respondeu, em relação a Verdade das Escrituras).

As respostas geralmente mostram o CARÁTER de quem responde e qual o seu interesse na questão.
Uma pergunta que não quer calar: Onde é que GIDEÃO FAZ JEJUM PARA OBTER A VITÓRIA SOBRE OS MIDIANITAS ?

Já que essa receita é inserida como se fosse um DOS MÉTODOS USADOS e pedra mágica de vitória contra todos os argumentos biblicos referente a Gideão. ???


Outras perguntas bem pertinentes e desconcertantes estão NESTE BLOG em outros posts: " ERROS NAS TRADUÇÕES, AJUDANDO AOS FARISEUS MODERNOS." e "Perguntas ao Pr. Ciro".
Faça uma visita, leia e comente respondendo algumas, se puder e conseguir.
Não é um desafio, é para conhecer o pensamento daqueles que se dizem discipulos de Jesus.

terça-feira, 16 de março de 2010

A FÉ CRISTÃ É REALMENTE RACIONAL?


R.C. SPROOUL

Com absoluta certeza!

Ela é intensamente racional.

Agora, já me fizeram a seguinte pergunta: "É verdade que o sr. é um racionalista cristão?
" Eu respondi: "De maneira nenhuma! Isso é uma contradição, em termos.
O racionalista é alguém que abraça uma filosofia que se contrapõe ao cristianismo." Portanto, embora um cristão verdadeiro não seja um racionalista, a fé cristã certamente é racional.

O cristianismo é coerente? É inteligível? Faz sentido? Ele se harmoniza num padrão coerente de verdade, ou ele é o oposto do racional — ele seria irracional? Seria o cristianismo complacente com a superstição e concordaria com cristãos que crêem que o cristianismo é francamente irracional? Penso que isso é um fato muito lamentável.
O Deus do cristianismo se dirige à mente das pessoas. Ele fala conosco. Ele tem um livro escrito para o nosso entendimento.

Quando digo que o cristianismo é racional, não quero significar com isso que a verdade do cristianismo em toda a sua majestade possa ser deduzida a partir de alguns princípios lógicos por um filósofo especulativo. Há muita informação sobre a natureza de Deus que podemos encontrar unicamente porque o próprio Deus escolheu revelá-las a nós.

Ele revela essas coisas através de seus profetas, através da história, através da Bíblia e através do seu Filho unigênito, Jesus.
Mas o que ele revela é inteligível, podemos entender com nosso intelec¬to. Ele não nos pede que desprezemos nossas mentes para nos tornarmos cristãos.

Há pessoas que pensam que, para se tornarem cristãs, elas precisam deixar seus cérebros em algum lugar do estacionamento. O único pulo que o Novo Testamento nos chama a dar, não é um pulo no escuro, mas é para fora do escuro, para a luz, para aquilo que verdadeiramente podemos entender. Isto não quer dizer que tudo o que a fé cristã afirma é absolutamente claro no que diz respeito às nossas categorias racionais.

Não posso entender, por exemplo, como uma pessoa pode ter uma natureza divina e uma natureza humana ao mesmo tempo, que é aquilo que cremos sobre Jesus. Isso é um mistério — mas mistério não é o mesmo que irracional.

Mistério não se aplica somente à religião. Não compreendo inteiramente a força da gravidade. Essas coisas são misteriosas para nós, mas não são irracionais. Uma coisa é dizer: "Não compreendo, com minha mente finita, como isso funciona.
" Outra coisa diferente é dizer: "Elas são gritantemente contraditórias e irracionais, mas vou acreditar assim mesmo." Não é isso que o cristianismo faz.
O cristianismo afirma que há mistérios, mas esses mistérios não podem ser articulados em termos do irracional; se assim fosse, então nos afastaríamos da verdade cristã.

domingo, 14 de março de 2010

AINDA SEM RESPOSTAS

Interessantissimo este assunto.


Sempre agi assim.


Nunca desvio o assunto ou deixo alguem que me pergunte algo a respeito da fé em Cristo sem resposta.


Devemos ter muito cuidado é com respostas que na realidade são dogmas denominacionais sem nenhum respaldo biblico.


Em meu blog há um post com perguntas sinceras, honestas e até bem diretas sobre o tema JEJUM que fiz ao Pr. Ciro Zibordi há mais de dois meses e até abri o convite para qualquer um da blogosfera responder e até agora nada.


Parece que o prezado Pr. Ciro só sabe ver o erro dos outros (como não pregar, não cantar letras esquisitas, etc).


Os nossos IDOLOS DENOMINACIONAIS são intocáveis e vale tudo para mantê-los.


Alguns temas como JEJUM são verdadeiros VESPEIROS e quando são chutados corre-se o risco de ser picado.




Creio que minhas perguntas não tenham respostas compativeis com os costumes, tradições e trejeitos evangélicos (que geralmente anulam as Escrituras).


Mas o convite continua aberto.


Qualquer um blogueiro que saiba uma das respostas vá até lá e responda. É de graça, 0800.


video

POR QUE ODEIO RELIGIÃO

Mark Driscol depõe sobre desvios da religião.

Assista e entenda.
video

quinta-feira, 4 de março de 2010

POR QUE ESCONDER A COVARDIA DE ESTER, SE A BÍBLIA NÃO ESCONDE?




A Rede Record iniciou uma Mini Série bíblica sobre Éster.

Espero que o núcleo do Livro de Éster seja narrado como está escrito, sem esconder fatos Importantíssimos para compreensão do evento.

Ester foi corajosa sim, mas só depois de receber uma palavra duríssima (Profecia do homem de Deus, Mardoqueu, seu primo) que incluía não apenas a morte dela (dentro do palácio) mas também de toda sua família.

Ou será que o texto de Et 4:12-14, é pra encher lingüiça? E não teria nenhum significado hermenêutico nem exegético??

Se os Exmos. Pastores ainda não viram, transcreverei abaixo NAS TRES versões para descartar interpretação particular = heresia:

Et 4:12 (NTLH) Quando recebeu a mensagem de Ester,

13 Mordecai mandou o seguinte recado para ela: “Não pense que, por morar no palácio, só você, entre todos os judeus, escapará da morte.

14 Se você ficar calada numa situação como esta, do Céu virão socorro e ajuda para os judeus, e eles serão salvos; porém você morrerá, e a família do seu pai desaparecerá. Mas quem sabe? Talvez você tenha sido feita rainha justamente para ajudar numa situação como esta!”


12 (RA) Fizeram saber a Mordecai as palavras de Ester.

13 Então, lhes disse Mordecai que respondessem a Ester: Não imagines que, por estares na casa do rei, só tu escaparás entre todos os judeus.

14Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?

12 (RC) E fizeram saber a Mardoqueu as palavras de Ester.

13 Então, disse Mardoqueu que tornassem a dizer a Ester: Não imagines, em teu ânimo, que escaparás na casa do rei, mais do que todos os outros judeus.

14 Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento doutra parte virá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino? Ela havia sido informada de antemão dos acontecimentos.

Et 4:8 Mordecai entregou a Hataque uma cópia do decreto que havia sido lido por toda a cidade de Susã, ordenando que os judeus fossem mortos. E Mordecai pediu a Hataque que levasse a cópia a Ester, explicasse tudo direito e pedisse a ela que fosse falar com o rei e insistisse que ele tivesse piedade do povo dela.

9Hataque fez o que Mordecai tinha pedido,

10 e Ester mandou Hataque entregar a seguinte resposta a Mordecai:

11Todos os servos do rei e o povo das províncias do rei sabem que, para qualquer homem ou mulher que, sem ser chamado, entrar no pátio interior para avistar-se com o rei, não há senão uma sentença, a de morte, salvo se o rei estender para ele o cetro de ouro, para que viva; e eu, nestes trinta dias, não fui chamada para entrar ao rei.

No verso 11 a covardia (medo de morrer) fica expressa. Ela considerou sua vida mais valiosa do que todo o povo judeu (hermenêutica e exegese).

E outro fato mais, Ester não descobre a pólvora (jejum mágico para alguns). Se lermos com a devida atenção o texto de Et 4:1-3 vemos que tanto Mardoqueu quanto a maioria dos judeus espalhados nas mais de 120 provincias da pérsia, iniciam um jejum, ou seja, Éster ainda está totalmente alienada dos fatos, e se for feita uma fila ela e suas moças são as as ultimas da fila.

Et4:1 Quando Mardoqueu soube tudo quanto se havia passado, rasgou Mardoqueu as suas vestes, e vestiu-se de um pano de saco com cinza, e saiu pelo meio da cidade, e clamou com grande e amargo clamor;

2 e chegou até diante da porta do rei; porque ninguém vestido de pano de saco podia entrar pelas portas do rei.

3 E em todas as províncias aonde a palavra do rei e a sua lei chegavam havia entre os judeus grande luto, com jejum, e choro, e lamentação; e muitos estavam deitados em pano de saco e em cinza. E devido a sua alienação, (ou falta de informação, como queiram) ela tenta ate interromper o jejum de Mardoqueu.

4 Então, vieram as moças de Ester e os seus eunucos e fizeram-lhe saber, com o que a rainha muito se doeu; e mandou vestes para vestir a Mardoqueu e tirar-lhe o seu cilício; porém ele não as aceitou. Ester não faz decreto algum ordenando jejum (decreto tem pergaminho, selo, etc) a todo o povo judeu (Faz um pedido a Mardoqueu, depois da dura profecia de morte contra ela. E so os da capital – Susã v:16).

O império persa era vasto e não havia internet nem email como hoje, e o tempo era escasso (apenas 3 dias). Em três dias não se cobriria uma distancia muito superior do Rio a Curitiba.

16 Vai, e ajunta todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas moças também assim jejuaremos; e assim irei ter com o rei, ainda que não é segundo a lei; e, perecendo, pereço.

Outra coisita, o pedido dela não é para pessoa física e sim pela causa coletiva que vai levar ao rei, se não o final do verso 16 fica sem sentido (e, perecendo, pereço) denotaria falta de fé.

Aqui, sim ela é valente e corajosa. Esta dando a sua vida em favor do povo (ha uma possibilidade de 50% de que morra ou sobreviva, mesmo se não, valeria a pena fazer o que por certo fora colocada ali).

Qualquer similaridade com o que Jesus disse não é mera coincidência.

Quem quiser salvar a sua vida vai perde-la. Mas quem perde-la, por amor de mim, a salvará.

A pessoa de Jesus sempre se confundiu com seu povo. (vide Saulo em Atos 9): Saulo, porque me persegues?

Devemos ser exegéticos para não sermos heréticos. Ou escondermos a verdade, ou usarmos meias verdades para provar doutrina particular.

Davi adulterou e assassinou, (e sofreu terríveis conseqüências), mas nem por isso deixou de ser o homem segundo o coração de Deus.

E a bíblia não esconde.
Mardoqueu é guiado por Deus o tempo todo, em todos os fatos.

Na minha opinião, esse livro excelente, que não menciona a palavra Deus, em nenhuma ocasião, deveria se chamar Mardoqueu.
A paz do Senhor, com hermenêutica e exegese.